11 de dez de 2013

Nosso Anjo, Wesley Pigosso 1

Conheci o Wesley   quando fui vistar a Casa Padre  Pio( veja nas postagens anteriores) A Vanda e o marido Valdeir  apresentaram duas crianças lindas : O Derison e o Wesley . Ali começou um amor imenso pelos dois.  O Wesley estava alojado na Casa Padre PIo para fazer o tratamento  contra a  Leucemia.
        Ele morava   em uma cidade do interior e ordens médicas começou o tratamento no Hospital  Infantil Jeser Amarante. Uma vez por mês estava em Joinville e eu...  correria para visitá -lo.Era uma festa.
         Até o momento em que o médico salientou que para o caso do Wesley era necessário a doação de medula óssea. Pronto!!! Começou uma campanha imensa para  ele receber a doação de medula. Contatos com amigos, voluntários , alunos escritores conseguimos  sensibilizar algumas pessoas para doação de medula. Deixo com vocês  a poesia feita pelo poeta Jorge Stack. uma crônica feita pelo escritor Luiz Carlos Amorim, músicas feitas pelos meus alunos , outra crônica feita pelo  cronista Rubens da Cunha.
                                   O fio da vida 
                                       (para Wesley)

O fio da vida
-- sutil teia da infância 
ao futuro

Não sabemos seu tamanho
nem imaginamos sua resistência
-- nem a nossa

O fio da vida
pode tecer as cores 
do Grêmio

Correr pelas artérias
em esperanças e
emoções

O fio da vida 
pode branquear os cabelos
de Ana

De contos de fadas
de histórias de heróis
de verdade

O fio da vida
faz cócegas na imaginação
e faz rir

Pode brincar
Pode jogar
Pode viver

O fio da vida
é novelo de bondade e de justiça
-- é um fio quem vem de Deus





A crônica de hoje.  Jornal A NOtícia

A doação de medula óssea – Crônica de Rubens da Cunha

Crônica publicada no Jornal A Notícia em 24/07/2013
A doação de medula óssea
Medula. Medula óssea. Tutano. Metáfora para inteligência. Eixo, centro, força, um tecido hematopoiético que nos habita. A Medula é a poiesis do nosso corpo. Pode ser aquele fazer antigo que nos constitui enquanto seres vivos. Medula é o cerne, o interior, o dentro dos ossos, a medula espinhal, o caminho por onde percorrem muitas de nossas sensações, o caminho que conecta cérebro e corpo, muitas vezes separados, tratados como se fossem duas coisas diferentes, quando estão desde sempre ligados pela medula.  A medula, algumas vezes, é acometida de uma doença: a leucemia, ou o “sangue branco” que tanto tem marcado as vidas por aí. Com o avanço da medicina tornou-se possível curar a maioria dos casos com um transplante de medula óssea. Um transplante do nosso cerne. A medula óssea é, junto com o sangue, aquilo que podemos doar ao outro sem que nos faça falta. Há, apesar dos percalços, uma popularização na doação do sangue, mas pouco se comenta da doação de medula óssea. Pouco se fala das pessoas envolvidas em associações e organizações que, diuturnamente, buscam doadores. Diferente do sangue, doar medula óssea para alguém que não seja parente, é quase como ganhar na loteria. Algo como 1 para 100.000, por isso é tão importante que mais pessoas façam parte do “Registro de doadores voluntários de medula óssea”, pois quanto mais pessoas estiverem cadastradas, maiores são as chances de se encontrar algum doador longe da família. A sorte aqui não deve ser ressaltada somente para quem recebe, mas para quem doa. É um procedimento relativamente simples, que demanda justamente aquilo que a palavra doar traz da ancestralidade: o donare, odonum, o dar um presente, o dar a medula, arriscar a sorte de salvar uma vida doando um pouco de seu tutano, ou de saber que há alguém por aí que lhe é compatível e que não passa por graus de parentesco. Alguém cuja constituição genética misteriosamente se aproxima da sua e que vem da sua medula a salvação desse “gêmeo”. A cura da leucemia será expandida quanto mais houverem doadores voluntários, doadores que não precisem que aconteça um caso com alguém próximo para entrar nessa lista, para fazer da sua medula a medula de alguém.
Rubens da Cunha



MEU PEQUENO GRANDE HERÓI


Por Luiz Carlos Amorim - Escritor - Http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br 




Vi a foto do Wesley, um menino de sete anos, que a professora Mariza postou no Facebook, em uma campanha de doação de medula óssea para acabar com a leucemia no Brasil e no mundo. Tenho observado a professora sempre atenta, acompanhando a trajetória de Wesley. Não o tinha visto ainda, só sabia da sua luta, só sabia que  ele é um grande guerreiro.


Tenho uma imensa admiração pelo grande cara que é o Wesley e queria dizer isso a ele. Vejo a sua luta e percebo que nós, que não temos nenhuma doença grave, reclamamos de tudo, pela vida afora. E ele, tão jovem, tão frágil, mas tão forte, ao mesmo tempo, nos dá lição de esperança, de humildade, de humanidade.


Ele, Wesley, me mostra que sou uma pessoa privilegiada, pois tenho saúde, tenho liberdade e, tendo isso, tenho tudo. Ele, o nosso guerreirinho, está preso a tratamentos médicos, complexos e  desgastantes, esperando por uma doação de medula compatível para recuperar a saúde e ter perspectivas de futuro. E, como me testemunhou a professora Mariza, tem sempre um sorriso pra todos, é carinhoso e generoso.


Então não posso deixar de aderir à campanha para zerar a leucemia no Brasil e no mundo, recomendando a todos que sejam doadores: para fazer o cadastro, vá ao Hemocentro mais próximo ou a um grande hospital. Lá, geralmente fazem o cadastro. Leve documentos de identificação. Lá será colhida uma amostra do seu sangue (não é preciso estar em jejum) e seus dados vão para o Banco de Medula Óssea (REDOME). Pronto. Cadastro feito.


É o mínimo que posso fazer por pequenos heróis como Wesley e outros tantos que lutam pela sua cura e pelo seu futuro.
   Uma fez por més era o momento de o médico avaliar.  Passa rápido na Casa Padre Pio para dar um abraço ou um presentinho para ele.


   Sepre que ficava com a imunidade baixa  0 já precisava usar máscara
   A hora da visitas e dos presentes
  A Nona do Wesley e o Lucas na salinha de jogos( Hospital Infantil Jeser  Amarante


O enfermeiro Elton   na hora  da diversão.
O

4 comentários:

Leonel disse...

Que Deus o abençoe e proteja!
Há 4 meses, passei por um transplante autólogo de medula.
Neste caso, foram reimplantadas minhas próprias células-tronco, após uma quimioterapia. Estou agora em recuperação.
Que este pequeno tenha a dádiva de encontrar um doador compatível!
Abraços, Mariza! Seu trabalho de divulgação ajudará!

Lidia Ferreira disse...

Belo texto ,letra e linda
Que Deus o proteja esse anjo lindo!
Eu estive fora do ar , mas estou de volta , espero que ainda se lembre de mim?
bjs

Julia disse...

adorei o texto ,linda a historia do Wesley , sentiremos muita saudade dele, mesmo sem conhecer ja amos ele
va com Deus Wesley !!!
bjss professora Mariza !!!

António Manuel - Tómanel disse...

Passei por aqui para espreitar o teu blog e ao mesmo tempo desejar festas felizes.
Como sempre, tens aqui interessantes trabalhos.
Um abraço.
http://umraiodeluzefezseluz.blogspot.com