20 de abr de 2015

Ler é viajar sem sair do lugar 2

O Projeto começou pequeno e está crescendo. Aqui deixo com vocês duas crônicas de meus amadinhos: Luiz Carlos Amorim e Viviane Bevilacqua .

LER É VIAJAR


    Por Luiz Carlos Amorim – Escritor – Http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br



Eu tenho falado de vários projetos de pessoas amantes da leitura que querem disseminar o hábito de ler para além delas próprias. No mais das vezes não são pessoas poderosas, ricas ou influentes que se colocam à frente de iniciativas importantes e eficientes no sentido de incutir o gosto pela leitura e o acesso aos livros.
 
Não posso deixar de divulgar a ideia do projeto de leitura “Ler é viajar sem sair do lugar”, da professora Mariza Schiochet, minha conterrânea, que trabalha em escolas de Joinville. Ela recebe livros e gibis doados pelos alunos e amigos e os distribui em pontos onde o projeto funciona, sete deles, espalhando cada vez mais o acesso à leitura por toda Joinville.
 
Os pontos de leitura do projeto não são, simplesmente, escolas ou bibliotecas. São locais onde as pessoas estão fragilizadas e precisam de apoio, de alguma coisa que as ajude a enfrentar momentos difíceis, a enfrentar a espera, a convalescença, o tratamento de doenças. A caixa de leitura do projeto Ler é viajar sem sair do Lugar está lá, por obra e graça da nossa maior lutadora em prol da incentivação da leitura, em todos os lugares onde há pessoas que podem amenizar a dor da espera com a leitura de um bom livro e também de um gibi, por que não?
 
É a leitura em suas funções mais nobres: preenchendo com cultura o tempo de quem está esperando o restabelecimento de sua saúde e estabelecendo um hábito que todos procuramos incutir: o hábito da leitura. E, ainda, divulgando os escritores que doam seus livros para o projeto, junto a leitores em formação.
 
A professora Mariza começou com essa nobilíssima saga em favor da leitura visitando os doentes em hospitais, inclusive com câncer,  com cartinhas de seus alunos em apoio àquelas pessoas sofridas, outro projeto pioneiro, e acabou estendendo o projeto com a captação de livros e revistas para oferecer um alívio e uma ocupação para quem está sofrendo, para vários pontos da cidade das flores, da dança, da poesia e das bicicletas. E isso é possibilitar, através da leitura, que as pessoas viagem para outros lugares, diferentes daqueles onde se encontram, tristes e melancólicos.
 
Ela já fez muito pela leitura em suas escolas, estudando a obra de autores da terra e levando-os para interagir com seus alunos e muito mais ainda fará. Porque a professora é gente que faz. Como a professora Edna Matos, de Divinópolis, Minas, que faz um trabalho parecido, e outros abnegados, de dedicação integral, pelo Brasil afora.
Leitura para todos, um sonho possível

Eu já falei dela aqui _ e falarei outras vezes, com certeza _ graças à minha grande admiração pelo trabalho que ela faz, de formiguinha, mas que vem transformando a vida de muita gente através da leitura. Mariza Schiochet é professora de Português e Literatura. Aposentou-se do Estado recentemente, mas continua lecionando nas escolas municipais de Joinville.
Há pouco mais de dois anos, ela observou  que as pessoas (doentes e acompanhantes) ficavam muito tempo ociosas, à espera de consultas ou de tratamento, no setor de Oncologia do Hospital São José, lá em Joinville, e decidiu criar o projeto de leitura “Ler é viajar sem sair do lugar”. Uma caixa de livros e gibis foi deixada lá, para que todos pudessem ler o que desejassem. Sucesso total. Deu tão certo que Mariza decidiu levar mais caixas de livros para outros locais. Hoje o projeto está também na sede do Hemosc, na Casa Padre Pio (que recebe pessoas que vão fazer tratamento médico), na Casa Adalton (que auxilia famílias de crianças com câncer) e no bairro Jardim Paraíso, onde residem muitas famílias carentes.
A professora conta que em breve o projeto estará também no “centrinho do SUS” que atende deficientes auditivos. Além da caixa de livros, Mariza e seus alunos pretendem fazer sessões de contação de histórias para os pais das crianças atendidas lá. Ou seja, serão seis caixas de livros e gibis espalhadas pela cidade, incentivando o hábito da leitura e levando um pouco de alegria e cultura a muita gente que precisa.
O grande problema, diz ela, é a falta de incentivo. Todos os livros e gibis (que não suprem mais a demanda) são doações de amigos e dos alunos _ seus maiores incentivadores. “Sozinha é muito difícil. É importante que as pessoas saibam que o livro que não usam mais pode ser um bálsamo para o outro que precisa de uma palavra de amor e carinho”, explica. Quem quiser colaborar com o projeto pode entrar em contato com a professora pelo e-mail izaschiochet@gmail.com. Toda ajuda é bem vinda.
Bem que uma empresa da região de Joinville podia encampar este projeto tão bonito e que precisa de tão pouco para dar certo e seguir em frente.
Projeto de leitura chega ao Jardim Paraíso, pelas mãos da professora Mariza Schiochet (centro)
Projeto de leitura chega ao Jardim Paraíso, pelas mãos da professora Mariza Schiochet (centro)