23 de dez de 2009

O importante é que emoções eu vivi.

O presente é aquilo que não é... e o próprio tempo não é, mas vem a ser, à medida que o ser-existente se temporaliza. (Sartre)


Recebi hoje via Orkut um depoimento da Amanda do 9 ª D que com certeza foi um ótimo presente de Natal . Lembrei do poema de Manuel Bandeira que relata sobre o acúmulo de experiências e alegrias.



CANÇÃO DO VENTO E DA MINHA VIDA



O vento varria as folhas,
O vento varria os frutos,
O vento varria as flores...
E a minha vida ficava
Cada vez mais cheia
De frutos, de flores, de folhas.

O vento varria as luzes,
O vento varria as músicas
O vento varria os aromas...
E a minha vida ficava
Cada vez mais cheia
De aromas, de estrelas, de cânticos.

O vento varria os sonhos E varria as amizades...
O vento varria as mulheres...
E a minha vida ficava
Cada vez mais cheia
De afetos e de mulheres.

O vento varria os meses
E varria os teus sorrisos...
O vento varria tudo!
E a minha vida ficava
Cada vez mais cheia
De tudo.


Vou sentir tanto a tua falta, você me ajudou muito em todo o tempo que eu passei contigo...
nunca me deixou cair ou pensar em desistir.
Sempre estava ali, disposta a ajudar, sempre de uma maneira marcante que hoje eu sinto muita falta.
Te amo muito!!! Professora Mariza.
Continue sendo assim essa pessoa maravilhosa que você é.
Transmitindo aos seus alunos todas as coisas boas que você sabe.
(Amanda Maurilio 9ºD)



12 de dez de 2009

Tão esperado. Ele chegou!!!!

Nossa!!! Se contar nos dedos quantas surpresas tive este ano certamente faltariam dedos.
Foi um ano agitado e muito gratificante – quantos amigos eu fiz e, quantos renovei a cada dia a nossa amizade.
Tentei a todo momento lembrar da palavra que sempre gosto de pedir no ditado com os alunos. A palavra é SENSAÇÃO. Viver sem senti-la não é viver é aniquilar-se .
Estou feliz – cumpri minha tarefa deste ano agora resta-me as merecidas Férias!!!
Deixo para vocês História de Natal que eu amo . E que o Ano Novo seja: UM Ano Dourado 2010 e com A Janela Aberta Para A Felicidade 2010.
Ganhei livro: Saudades e esquecimentos . Tenho muito carinho pelo livro por ser maravilhoso e por eu ganhar de uma pessoa maravilhosa. Compartilhe comigo.

O Presépio


Esse desassossego é normal nessa idade. “Quéta o facho, menino!” Frase que vai se tornando mais rara à medida que passa o tempo. Depois ela muda: “Você precisa parar um pouco, trabalho demais não faz bem!”.

O sinal de que tudo já está diferente é a jabuticabeira florida. Novembro e suas chuvas bravas anunciam que o terror das provas finais já está por perto. Chega com as jabuticabeiras e depois se vai, como tudo na vida, deixando-nos resultados: as provas finais, reprovações, e as jabuticabas, licores e nódoas.

No entanto, existe uma permanência se escondendo. Uma coisa que se abriga na gruta do presépio, feita de saco de cimento, pintado com grude, pó de café e purpurina, para ficar parecendo o dourado na pedra. O dourado dura no tempo. Eu mesmo me recordo daqueles papéis cuidadosamente guardados em cima do guarda-roupa, junto com as imagens que compunham a noite do nascimento de Deus.

Lá em casa não tinha banalização do Natal, não. No que era próprio do Natal não se podia mexer durante o ano. A caixa das imagens só era aberta com a chegada de dezembro. Fazia parte do ritual. E tinham de ser as mesmas imagens. Coisa nova não tinha vez. O bonito era ver a cor desbotada, os pequenos arranhões que revelavam que ali existia memória. “Mamãe deixou este presépio para mim”, revelava-nos orgulhosa, nossa mãe. Todo ano era assim. E existia um encanto naquelas repetições, formas criativas de se atualizar uma mesma fala, uma mesma revelação. Eu já sabia que aquele presépio pertencera a minha avó, mas era bom ouvir de novo.

O Menino Jesus era o meu preferido. Gostava dele e das ovelhas. Tinha uma delas com a boca voltada para o chão. Colocávamos um espelho entre as serragens para parecer que estava bebendo água.

Certa vez, por ocasião de uma novena de Natal, deixei cair da manjedoura a pequena imagem do Menino Jesus. Quebrou a cabeça. Eu não podia acreditar. A cabeça se descolou do corpo. Eu chorei tanto que parecia que o acidentado era eu. Uma dor profunda pungia o meu coração. Talvez por ter a sensação de ter quebrado mais que uma imagem. Por ter retirado a sacralidade e o mistério que sempre envolvera aqueles objetos. O presépio, a fala da minha mãe, a tradição, a minha avó, a memória, tudo estava agora sem cabeça.

Minha prima resolveu o problema. Restaurou o garotinho com cola Tenaz® . Mas isso não me consolou. Sempre que eu o via, recordava-me do incidente. Embora não parecesse, eu sabia que a sua cabeça havia sido decepada um dia. E eu era o agressor.

O Natal tinha suas cores próprias. Tinha também os seus sabores. Pernil com pão de queijo e guaraná. Mas tinha de esperar dar meia-noite. Eu ficava parado ao redor da mesa, com os olhos fixos na travessa e no relógio. Quando chegava a hora, eu comia e depois ia dormir. Embora fosse motivado para isso, nunca consegui deixar o meu sapatinho na janela com o intuito de que o Papai Noel deixasse ali um presentinho para mim. Tinha medo que roubassem o meu único par de sapatos. Ao contrário, guardava-os bem, para que não houvesse nenhuma possibilidade de que alguém os levasse de mim. Quando se tem um único amor, o cuidado é dobrado!

O bom mesmo era tomar café com as sobras do Natal. Cafezinho quente com pão de queijo amanhecido e pernil. Mas tinha de estar gelado. Era tirar da geladeira e comer. Esse era o único momento em que eu não me recordava de ter quebrado a cabeça do Menino Jesus. A alegria cura a culpa!

Padre Fábio de Melo
Livro :: Tempo: Saudades e Esquecimentos
http://www.fabiodemelo.com.br/

Olá amigos! Cliquem no link abaixo. Vale à pena.
Dê um clic no Anjo e acompanhe-o acendendo as velas da árvoree
e apresentando algumas canções natalinas. Que fofura!

http://www.jacquielawson.com/preview.asp?cont=1&hdn=0&pv=3169996

9 de dez de 2009

Para rir... ou pensar...

O homem tem 4 idades: a idade em que ele acredita em Papai Noel , a idade em que não acredita mais em Papai Noel , a idade em que ele é o Papai Noel e a idade em que ele fica a cara do Papai Noel.
*
O homem, no céu, conversava com Deus:
- Senhor Deus, que são, para vós, mil anos?
- Um minuto.
- E 100 mil reais?
- Um centavo.
- Senhor, dá-me um centavo.
- Pois não, espere um minuto.
*
- O que você vai dar de presente a seu pai, no Natal?
- Vou dar um cinto e um terno.
- Tudo isso?
- E é fácil! Direi a ele: Sinto muito, não lhe comprei nada. Aceite o meu terno abraço.
*
Ao final da missa o tesoureiro da paróquia dirigiu-se aos fiéis dizendo:
- Tenho três notícias para dar a vocês: uma ruim, uma boa notícia e outra má notícia. A notícia ruim é que estamos precisando de um telhado novo, o que nos vai custar muito dinheiro. A boa notícia é que já temos o dinheiro. A outra má notícia é que o dinheiro está no bolso de vocês.
*
Num centro de compras lotado, um garoto, perdido e desesperado, vira-se para um dos seguranças e pergunta-lhe:
- Seu guarda, o senhor por acaso viu uma mulher passar por aqui, sem um garotinho como eu?
*
- O Juca é muito avarento!
- Em que te baseias para dizer isso dele?
- Muito simples. Lembras daquela confraternização de Natal, que a nossa turma promoveu? Era para cada um levar alguma coisa para o lanche; uns levaram refrigerantes, outros salgados, outros doces...
- E o Juca?
- Levou um irmão...
*
Era época de Natal e o juiz queria ser benevolente ao interrogar o réu.
- De que é acusado, meu Senhor?
- De fazer as compras de Natal antes do tempo.
- Mas... isso não é crime algum! Com que antecedência você fez suas compras?
- Bem, dotô, antes da loja abrir.
*
O filho pede o carro emprestado ao pai, que lhe faz algumas exigências:
- Filho, vamos fazer o seguinte: você melhora suas notas na escola, estuda a Bíblia, e corta esse cabelo. E aí voltamos a conversar.
Um mês depois, o rapaz volta a perguntar ao pai se pode usar o carro.
- Filho, estou realmente orgulhoso: você melhorou suas notas na escola, e estudou a Bíblia. Mas não cortou o cabelo! Como fica nosso trato?
- Papai, lendo a Bíblia, fiquei intrigado: Sansão tinha cabelos longos, Noé também...até Jesus; e todos eram boas pessoas!
E o pai:
- É verdade... e todos eles andavam a pé.
*
Na prova de final de ano, o aluno apenas escreveu:
Está prova está muito difícil! Só Deus sabe respondê-la.
Feliz Natal!
O professor então anotou:
Para Deus, Dez! Para você, Zero!
Feliz Ano Novo!
* Um escocês estava hospedado em casa de um londrino, já há duas semanas e não tinha intenção de partir muito cedo. O amigo um dia lhe pergunta:
- Amigo, o senhor disse-me que veio fazer só uma visitinha e já faz quinze dias que está em minha casa. Dentro de alguns dias é Natal. Não gostaria de passá-lo com a esposa e os filhos?
- Claro que sim, respondeu o escocês. Não havia pensado nisto. Vou mandar chamá-los.
*
Um peregrino, voltando de Jerusalém, é interpelado pelo guarda da alfândega:
- O que traz nesta garrafa?
- Água da Terra Santa.
O guarda destampa a garrafa e diz:
- Isto não é água, é Wisky!
- Oh! Mais um milagre!... louvado seja Deus.
*
Os Jogadores estão em Belém do Pará, para disputar um jogo pelo campeonato brasileiro.
Chega o repórter e pergunta a um deles:
Então, como é que você está se sentindo antes do jogo aqui, em Belém?
- E uma satisfação jogar na cidade onde nasceu Jesus!
*
Três sujeitos discutiam sobre quem tinha a profissão mais antiga.
- Não que eu queira contar vantagem – disse o marceneiro, mas os meus antepassados construíram a Arca de Noé.
- Isso não é nada! – respondeu o jardineiro,Foram os meus antepassados que plantaram o Jardim do Éden.
- Tudo bem – disse o eletricista - mas quando Deus disse “Faça-se a luz”,
quem vocês acham que tinha puxado toda a fiação?!

Fonte: Boletim e Revista Triunfo do Coração de Jesus

2 de dez de 2009

Casa de Alimentação São Judas Tadeu





Diga-me, esquecerei. Mostre-me, talvez eu lembrarei. Faça-me participar e compreenderei .


Começamos com Entrevista fomos até a Narrativa e chegamos ao um Texto Opinativo. ( tema Entrevista com pessoas que são exemplos, narrativa sobre essas pessoas e o texto opinativo foi sobre o e textos com o tema drogas )- para fechar com chave de ouro -fomos visitar a Casa de Alimentação São Judas Tadeu. Vejamos o histórico .
A Casa de Alimentação São Judas Tadeu surgiu na primeira reunião dos Grupos de Reflexão, no dia 31 de janeiro de 2003, quando a senhora Janete de Oliveira Rosa assumia a Coordenação dos Grupos de Reflexão.
No 21 de Outubro de 2003, inauguramos a Casa de Alimentação São Judas Tadeu situada na Rua Santarém, 170 No dia, Bairro Floresta, com procissão dos Grupos de Reflexão e Santa Missa na Casa rezada pelo Padre Herculano.
No dia 22 de Outubro de 2003, abrimos a Casa com o contrato de locação em mãos. A casa estava totalmente vazia, desprovida de tudo.
As senhoras Inês Blazius, Ondina Cordeiro e Janete de O. Rosa estavam às 9:00h, acreditando na misericórdia de Deus. Levou apenas uma semana para que a Comunidade entrasse em ação, atendendo um apelo feito na igreja pela Senhora Catia Klug Borges durante a Festa do nosso padroeiro, São Judas Tadeu.
Recebemos: Guarda-roupa, camas, colchões, jogos de sofá, mesas com cadeiras, armários, fogão industrial, pias, geladeiras, freezer, máquinas de lavar roupa, gás, etc.
Hoje, alimentamos diariamente em média 70 a 80 pessoas, moradores de rua, famílias carentes ou desempregadas, encaminhadas à Casa pelos Grupos de Reflexão, pois são eles os conhecedores da realidade.
Os necessitados chegam a Casa por volta das dez horas. Tomam banho e trocam de roupa (recebem uma roupa limpa, lavada na casa). As quintas e segundas feiras eles cortam os cabelos, pois dispomos de um barbeiro, Sr Humberto de Peregrini e uma cabeleireira, Sra Rosa Cidral que atuam voluntariamente.
Após o banho, às 11:30 horas eles dirigem-se a mesa para o almoço onde alimentam-se fartamente.
O cardápio diário é bem variado, aproveitando as doações que chegam diariamente a Casa. Existe uma fartura considerável de verduras, frutas, legumes.
Recebemos semanalmente a contribuição valiosa do Padre Alcides que com sua Kombi abastece a Casa com frutas, verduras e legumes, em quantidade. Sempre nos fazendo surpresas com algum tipo de carne.
Contamos diariamente com o trabalho das Senhoras Erotides Mafra Lencina e Lorena Hess Pereira. Temos a participação efetiva do senhor João Xavier encaminha, conduzindo quando lhe procuram, pessoas e familiares com dependência química para as entidades abaixo relacionadas:
▪ Comunidade Terapêutica Fazenda Espírito Santo – São João Batista
▪ ASPA – São Bento do Sul
▪ Betania – São João Batista
▪ Abrigo do Eduardo – Araquari
▪ Essência de Vida – Araquari



Já temos registros de bons resultados com esse trabalho. Contamos também com a colaboração do Sr João Vieira, membro da CAEP que com seu carro, voluntariamente auxilia da busca de doações para casa, em companhia do Sr. Xavier.
Somos auxiliados pelos Projetos Porto Seguro (Prefeitura Municipal) quem vem ao nosso encontro buscar e encaminhar nossos irmãos para os hospitais da cidade.
É importante registrar que a Casa conta com uma equipe de dez estagiários em Psicologia, acompanhados de sua professora, a Psicóloga Juliana, da Associação Catarinense de Ensino. Os estagiários visitam a Casa às segundas e sextas feiras. Ouvem atenciosamente os nossos irmãos, fornecendo orientação, acompanhamento, ajuda na conquista de documentos perdidos e estão desenvolvendo um novo projeto – Ministrando aulas aos interessados, procurando aproximação com dinâmicas, canto, violão, etc.
É fornecida uma escala de membros dos grupos de reflexão, pela Coordenação, para ajudarem voluntariamente na Casa. É comum ter quatro a cinco pessoas, auxiliando nos afazeres da casa, diariamente.
Estamos recebendo também a parceria da Senhora Leonir Pereira, coordenadora da Pastoral Social da nossa Comunidade, demonstrando integração entre as pastorais.
Recebemos também a colaboração do Sesc, através do projeto Mesa Brasil nos doando semanalmente frutas, verduras e legumes.
Sabemos que este Projeto foi aprovado pelo nosso bom DEUS porque alimentar diariamente entre setenta pessoas ou mais, sem ter gastos financeiros, tem certamente a bênção divina sobre essa Casa.
Há uma vontade imensa de abrir novos horizontes para esse projeto e abrigar nossos irmãos que não cansam de pedir um teto para sua moradia.
Durante 5 (cinco) anos todos os dias por ali passaram pessoas com as diversas necessidade e nunca ficaram sem ser atendidas de algum modo. No mês de agosto/2008, na Rua Grão Pará, 165 Bairro Itaum, foi inaugurada a nova sede com apoio de nosso Pároco, na época Pe. Aléssio da Rosa, lideranças das 5 comunidades e um empresário onde comoveu-se com o trabalho da Casa.



Contamos hoje com o trabalho diário das Senhoras Erotides Mafra Lencina, Maria José Candido Vitorino e Luzia S.Carvalho da Maia e o Sr. João Xavier.
Voluntários de outras comunidades como: São João Batista (Fátima), São Francisco de Assis (Ademar Garcia), Santa Rosa de Lima (Floresta), Pe. Ezequiel (Itaum), também se fazem presente e se dispõe de umas horas para nos ajudar nessa messe.
Com a passagem do ano de 2008 fechamos com 31.641 refeições e 516 banhos, até a presente data 23/09/2009 estamos com 1893 banhos e 11621 refeições.
Nossa meta é um dia poder montar uma Casa de Reabilitação, um Albergue uma equipe para doar-se nos finais de semana para aqueles que não são mais acreditados pela sociedade e não tenham a oportunidade de mostrar sua capacidade de crescer junto a sociedade. Já contamos com o Grupo de Oração da Paróquia Santo Antonio que assumiram dois sábados ao mês. Alguns daqueles que um dia aqui passaram já estão incluídos na sociedade com empregos dignos e uma vida humana.
Voluntários de outras comunidades como: São João Batista (Fátima), São Francisco de Assis (Ademar Garcia), Santa Rosa de Lima (Floresta), Pe. Ezequiel (Itaum).

“ Se um dia
tiver que escolher
entre o mundo e o amor...
Lembre-se:
Se escolher o mundo
Ficará sem o amor, mas se escolher o amor,
Com ele conquistará o mundo.
Albert Eistein



Debaixo de uma chuva torrencial fomos passar uma manhã diferente. Fomos bem recebidos pelo Sr. João Xavier conhecemos todo o trabalho executado pela equipe e também o interior da Casa.

Os adolescentes são imprevisíveis , foram voluntários por um dia ( descascar batata, não é fácil) na cozinha, a Gislaine e o Rafael na limpeza e preparo dos peixes( quem diria!!) as meninas e os meninos conversando ou desenhando com os ex- dependentes como se fosse uma grande família. Realmente somos todos irmãos e filhos do mesmo Pai. Abençoada manhã, a chuva certamente lavou a certeza de que só o AMOR poderá transformar o ser humano.
Obrigada !!!a todos os alunos e a equipe da Casa de Alimentação pelo carinho e atenção conosco.
Todos estão convidados para visita ou fazer doações – o que sobra na sua casa é aquilo que o outro necessita. O endereço é: Rua Grão Pará, 165 bairro Itaum Fone 3429-8826.
.

Relatos de alguns alunos

Alunos: Erik Cristhian e Diego Soares
Serie: 9ªano D
Um dia de solidariedade

Quando chegamos a Casa de Alimentação- nós fomos muito bem recebidos pelo sr. João ele começou mostrando a cozinha os alimentos que ele ganham para fazer comida para os mendigos quer frequentam a casa. Depois de um tempo chegou um morador de rua, chamado Daniel mais conhecido como Índio.Ele tinha uma mulher e quadro filhos, mas a mulher separou-se dele, pois vivia bêbado . Contou um monte de piadas para alguns alunos, os moradores de rua que freqüentam a casa tem: roupas lavadas e bastante comida, a maioria vai na Casa de Alimentação nas 2ª, 4ª e 6ª feira pois são os dias de tomar banho, pois a Casa tem um banheiro bem montado com peças de doação de uma refrigeração. Nós tomamos café com eles, mas nem pense que o café era ruim , não era!!! o café era excelente tinha chineque e um café bem quentinho. Hummm!! uma delícia..
Com o passar do tempo foram chegando mais moradores de rua, a Gí e o Rafa se divertiram limpando peixes com dois moradores de rua. A Laysla e a Bianca descascaram batatas e frutas.
Todos os alunos ajudaram o sr. João, algum levaram 1 Kg de alimentos para ajudar o sr. João a maioria levou 1 Kg de macarrão. Tinha um mendigo chamado Pedro que adorava desenhar ou escrever alguma mensagem para o pessoal da Casa de Alimentação.
Quando chegou o ônibus os alunos deram tchau para todos e fomos embora.


Alunos: Amanda Doraci, João Jorge e Leticia Kemicik
Serie: 9ªAno D



Vivenciar o que estudamos na escola

Partimos da escola às 07h30min da manhã, num ônibus vermelho cedido pela prefeitura. A viagem foi absolutamente tranquila com o ônibus um pouco vazio devido à falta de alguns alunos.
Quando chegamos, conhecemos o seu João o grande homem que fundou a Casa de Alimentação. Ele mostrou as instalações da cozinha. Nós contou sobre a historia que levou -o a fundar a casa e alguns episódios importantes. Depois subimos para conhecer a lavanderia. Lá ele nós contou mais algumas historias marcantes. Depois falou sobre as doações que recebeu e o sistema de trocas, em que um morador de rua chega com suas roupas sujas e veste limpas e novas, entregando que depois de lavadas seriam entregue a outros moradores( já que com duas peças é fácil trocar uma por drogas ou bebidas).
Descemos e quem havia trazido 1kg de alimentação entregou, fomos divididos em dois grupos, enquanto um grupo iria conhecer uma parte da casa o outro esperava, na outra parte da casa. Havia um quarto onde eram armazenados produtos de higiene e algum pertences com os quais os mendigos e ex-dependentes químicos chegaram a beber álcool e gasolina. ( garrafas vazias de total entrega e mudança de vida.
O banheiro onde os moradores de rua tomam banho ( antes da refeição) e não é permitido atraso) é um lugar limpo e organizado pelos próprios moradores. de rua.Quando estávamos fazendo nosso lanche começaram a chegar os primeiros moradores de rua. Depois do lanche tivemos um tempo para interagir com os moradores no local.
No começo todos estavam tímidos, mas depois tomamos coragem para ajudar para ajudar a limpar os peixes e ajudar em outras tarefas da cozinha. Enquanto isso fazia desenhos e escrevíamos cartas de apoio ao sr. João para colocar no mural. Muitos riram juntos aos moradores que contavam histórias .
A Casa de Alimentação São Judas Tadeu é uma instituição que ajuda moradores de rua e dependentes químicos a terem uma vida melhor. É mantido por doações vindas de qualquer pessoa e de 53 grupos de reflexão, já foram servidos mais de 5 mil refeições. A volta para casa foi bem tranqüila e todo mundo ficou comentando o que aconteceu lá, chegamos a escola ás 11h da manhã




Caroline Xister e Jennifer
Uma vida de doação

A Casa de Alimentação é um trabalho social, que Sr. João organizou ele ajuda mendigos e pessoas com dependência em álcool e drogas, dá alimentos, roupas, banho e carinho.
A Casa da Alimentação é uma entidade que se mantém através de doações e voluntários. O projeto é maravilhoso, ficamos muito encantados com o trabalho deles, é valido e necessário.
A nossa sala interagiu muito com aquilo, todos ajudavam de alguma forma desde arrumando a mesa até limpar peixe.
Sr.João já passou por muitas dificuldade em um tempo faltou alimento, ele orou e com a graças a Deus, chegou um homem com 50Kg de arroz, umas das tristezas de João, foi quando uma garota chamada Jéssica deu-lhe um tapa no rosto dele e, no momento seu João tentou revidar, mas refletiu – Jesus não faria isso. Virou as costas e saiu.
Eles aceitam todos os tipos de ajuda, desde alimento, roupa, móveis, até a pessoa ir lá ser voluntária. Você topa ajudar???.




Alunos:Eduardo Correa e Maicon Vicente
Serie:9ªanoD
Algo inimaginável
Quando chegamos fomos recebidos muito bem pelo senhor João e seus companheiros que cuidam da Casa de Alimentação. Ele começou no mostrando a cozinha os alimentos que ele ganhava para fazer comida para os mendigos que usavam drogas e que frequentam a casa.
Essas pessoas têm roupas lavadas ganham comida e tomam banho toda vez que vão lá, tem um banheiro muito luxuoso muito bem montado com peças doadas de uma refrigeração.
Nós tomamos café com eles.E com o passar do tempo foram chegando mais e mais pessoas a Gislaine o Rafael se divertiram limpando peixes com um homem , a Laysta, a Bianca e outras meninas na cozinha de voluntárias.
O Maicon, Eduardo estavam desenhando paisagem juntos com a Aline, Letícia, Erik e um homem chamado Pedro que disse que fez curso de desenhista e ele mandava muito bem nessa área.
Foi uma manhã diferente e produtiva

1 de dez de 2009

Tão jovem e... tão responsável

Retornei e recebi a notícia : Você vai precisar trabalhar com uma turma no período noturno( particularmente não gosto de lecionar nesse período)Já estou sem energia e eles - chegam cansados de trabalhar período integral ( vão chegando de bicicleta, de ônibus , a pé )

Os alunos foram carinhos e com vontade de aprender . Precisava conhecê-los e pedi uma produção textual - Assim sou eu !Fiquei surpreendida com essa aluna que, prefiro omitir o nome.
Esses adolescentes são " guerreiros" trabalham e estudam para conseguir melhorar de vida. Que a vida possa ser solidária com eles.

QUE VOCÊ SEJA ALEGRE,
mesmo quando vier a chorar.
QUE VOCÊ SEJA SEMPRE JOVEM,
mesmo quando o tempo passar.
QUE VOCÊ TENHA ESPERANÇA,
mesmo quando o sol não nascer.
QUE VOCÊ AME SEUS ÍNTIMOS,
mesmo quando sofrer frustações.
QUE VOCÊ JAMAIS DEIXE DE SONHAR,
mesmo quando vier a fracassar.
ISSO É SER FELIZ.
Que você garimpe ouro dentro de si mesmo.
E SEJA SEMPRE APAIXONADO PELA VIDA.
E descubra que você é um
SER HUMANO ESPECIAL.
Augusto Cury