22 de jul de 2012

A vida segue...

" Os adultos estão se tornando máquinas de trabalhar, e as crianças, máquinas de consumir. Estamos perdendo a singeleza, a ingenuidade e a leveza do ser.A educação, embora esteja numa crise sem precedente, é a nossa grande esperança."
                                      (Augusto Cury. Nunca desista de seus sonhos)

Amigos, durante minha  ausência tive crises de hérnia de disco, resfriado forte( 3 dias de molho na  cama) apesar dos "espinhos na carne" ocorreu momentos de emoção, alegria e lágrimas de felicidade.
Vejamos:
a) Saímos na revista  católica Diocese Informa sobre o o projeto Cartinhas com Sabor de Poesia para os      pacientes que fazem quimioterapia;
b) A mãe do meu aluno Gabriel , enviou-me uma carta tão sincera que as lágrimas rolaram em sala de aula   de emoção.
c)O escritor  Luiz Carlos Amorim, escreveu uma crônica sobre o reportagem lida sobre as cartinhas enviadas para os pacientes do Setor de Oncologia.
d) Por ocasião do meu aniversário, recebi uma poesia de presente do poeta Jorge Stark( miltextos.blogspot.)
e)Saímos do jornal estadual Diário Catarinense- Projeto para incentivar a leitura do jornal para os alunos do Ensino Médio.
" Nada melhor para fracassar na vida do que reclamar muito. Não sobra energia para criar oportunidades." 




NOSSO ANJO BOM

Professora Mariza Schiochet

Por Luiz Carlos Amorim – Escritor –http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br/


Recebi, enviada que foi pela minha amiga e conterrânea Mariza Shiochet, professora de Joinville, a revista da Diocese de Joinville, com matéria de página inteira sobre a iniciativa pioneira de incentivar seus alunos a enviar cartinhas que levam alegria aos pacientes com câncer. O projeto humanitário, dessa professora que já idealizou e realizou muitos outros projetos tão importantes quanto este, instiga os alunos a escreverem mensagens de alento e solidariedade aos doentes do setor de oncologia do Hospital São José.

Junto com a mensagem escrita por cada aluno, vai um poema, escolhido da obra de Mario Quintana, Carlos Drummond de Andrade ou de, pasmem, deste que vos escreve, humilde escritor Catarina. É um privilégio e uma honra fazer parte de uma seleção de monstros sagrados da poesia brasileira, ainda que não seja um deles.

Agradeço à Mariza e aos seus fabulosos alunos, pois nunca a minha poesia foi usada para um fim tão nobre. Levar um pouco de lirismo, de sensibilidade e emoção para pessoas que passam por momentos nos quais precisam muito de nossa atenção e carinho, é tudo. E Mariza, através dos seus alunos faz isso, minimizando o sofrimento de nossos irmãos.

E não é só isso. A professora Mariza, a despeito de todas as dificuldades pelas quais atravessa a educação brasileira, tem feito um trabalho memorável no sentido de divulgar a literatura, nos colégios onde leciona, das maneiras mais originais, como essa de levar a poesia ao Hospital. Ela tem levado os livros de autores locais para serem lidos em sala de aula, ela incute o gosto pela leitura em seus alunos, ela leva os autores para dentro da sala de aula, efetivando, como ninguém, a aproximação autor-leitor.

Então, professora Mariza, você é uma criatura iluminada, abençoada, o anjo bom que pensa no próximo e faz alguma coisa para beneficiá-lo, a mão boa que semeia o bem e colhe bondade, o coração enorme que tem lugar para todos.

Você é a nossa madrinha e nós, escritores, lhe agradecemos pela sua bênção. Tenho orgulho de poder dizer que você é minha amiga, que você é minha conterrânea, que você é de Corupá, a Cidade das Cachoeiras, terra abençoada como você.








À mestra com carinho( Jorge Stark)

Da ilha de Santa Catarina
eu miro o continente.
Os olhos vão além da ponte,
a imaginação vai além dos olhos.
O sonho alcança o interior,
vale adentro, Joinville.
Vou mais fundo.
Reverto o tempo.
Viro criança.
Criança de vila.
Vejo a escola.
Professora Mariza...
Professora, educadora, mulher
Mãe, filha, amiga
Múltipla, moderna, multimídia...
Mariza cria um algo do nada
E do algo, um mundo.
Um mundo de poesia.
Um manto de sabedoria.
Um monte de saber.
E do alto do monte,
de onde se avista o horizonte,
Mariza incansável.
Mariza improvável.
Mariza improviso.
Mariza sempre.
Mariza ilha.
Mariza continente.
Mariza consciente.
Mariza onipresente.
Como se houvesse Mariza em todas as partes.
Mestra de mil e uma artes....


(para Mariza Schiochet)