8 de fev de 2009


Cidadão do Mundo

Já imaginou conhecer o mundo em cima de uma bicicleta?
A ideia, que, inicialmente, pode parecer absurda , não está longe de se tornar real para o cicloturista Valdecir João Vieira - o Valdo, 64 anos com uma vasta experiência e enorme
vontade de viver . Vamos conhecer mais um pouquinho do Valdo:
1. Cidade onde nasceu?
Nasci numa localidade chamada Corveta, município de Araquari SC, a 18 km de Joinville.
2. Como foi a sua infância?
Normal como a de uma criança do interior, mas bastante reservado. O princípio de honestidade que o meu pai imprimia em todos nós estava presente desde a tenra infância. Eu era um garoto bom. Nunca joguei peca “a vera” como faziam os meus coleguinhas e nunca briguei com ninguém, embora fosse bastante teimoso.
3. Como surgiu a sua vocação sacerdotal e por que abandonou?
Descobri a minha vocação aos 18 anos de idade durante uma Missão dos Padres Redentoristas. Fui com um amigo até o galpão da igreja onde se realizava a abertura da missão, para namorar e acabei sendo apanhado. No início da pregação eu estava nos fundos do galpão e no final estava em baixo do palanque onde o missionário pregava. Saí dali perturbado e acompanhei os 15 dias de missão de 23 de março a 7 de abril de 1963. Em julho eu já estava no seminário de Ascurra.A palavra “abandonou” é um pouco forte. Eu não abandonei nem a Congregação nem o sacerdócio. Apenas me desliguei da Congregação e pedi dispensa do sacerdócio. Deixei de exercer o ministério sacerdotal, mas continuo o meu sacerdócio pedalando pela paz. Foi uma decisão difícil, mas acertada. Afinal desde o dia em que entrei no seminário até o dia em que saí, passaram-se quarenta anos. Tive que tomar esta decisão porque não estava satisfeito comigo mesmo. Talvez eu precisasse viver totalmente livre.
4. Qual o conselho que você daria a um jovem que perdeu a vontade de viver?
Procure um caminho alternativo e siga em frente. A vida é bela e tem muitas coisas lindas a nos oferecer.
5. Você se considera um homem solitário? Justifique?
Não. Eu gosto da vida comunitária; gosto de pedalar em companhia de outras pessoas. Mas a única maneira de realizar um projeto de viagem por muitos meses ou anos é sozinho.
6. Quantos e quais serão os países visitados por você?
As bandeiras transformadas em adesivo para usar na bicicleta chegaram a 72, mas este número pode variar, pois o meu projeto está em aberto. Américas = 21 países, saindo de Joinville para chegar ao Alasca; Europa = 25; África = 4, Tunísia, Líbia, Egito e Sudão; Ásia =20 Oceania = 2 Austrália e Nova Zelândia.
7. Qual será a data de sua saída?
Dia 9 de março de 2009 vai ser o grande dia.
8. E de previsão do retorno?
Quero fazer uma viagem tranqüila, sem pressa e pretendo regressar em 2013, se tudo der certo conforme planejado.
9. Como posso acompanhar a sua aventura?
A maneira mais fácil é entrar no meu site http://valdonabike.com e se cadastrar no Diário de Bordo Pedalando pela Paz que é uma lista fechada onde somente eu posso enviar mensagem ao grupo. Sempre que eu atualizar o meu Diário de Bordo, uma vez por semana, o grupo receberá uma mensagem. Para ver como está o diário basta entrar em http://valdonabike.com e clicar na aba Diário de Bordo. Você também pode acompanhar o meu Blog http://valdo.blogspot.com
10. O que sua família e amigos comentam sobre a sua grande aventura?No começo ninguém acreditava. Depois acharam que era uma loucura. Hoje sentem inveja de mim porque vou fazer aquilo que muita gente gostaria de fazer e não tem coragem ou possibilidade.
11. Nome de uma pessoa que você admira bastante?
Tenho uma lista muito grande de pessoas amigas. Mas para citar um só nome, Pe. Delfim Borges da Silva, a quem dediquei o livro Pedalando Solitário do Oiapoque ao Chuí. Foi meu Confessor e Diretor Espiritual em Lisboa e me ajudou a tomar a grande decisão da minha vida. Um Amigo com “A” maiúsculo.
12. Você costuma ler regularmente?
Que tipo de leitura escolhe?Sou um apaixonado pela leitura. Além dos clássicos da literatura brasileira e mundial, gosto muito de psicologia, teologia, aventura e eventualmente algum romance.
13. Lembra de algum título de livro (autor) do qual você tenha gostado imensamente e o que rendeu a sua leitura e fez gostar tanto da obra?Grandes Sertões Veredas, de Guimarães Rosa que me despertou a paixão pelo nordeste brasileiro.
14. O que o faz imensamente infeliz e por quê?
É viver num país maravilhoso com uma diversidade de um continente e ao mesmo tempo ter que conviver com a corrupção institucionalizada; com a falta de ética e moral; com o famoso “jeitinho” brasileiro.
15. Quantos livros você já escreveu? Como faço para adquiri-los?
Você tem DVD também?
O primeiro livro “Francisco de Oliveira” 40 Anos a serviço dos Jovens moçambicanos é uma Biografia publicada em Moçambique em 1995. Edição esgotada.Os outros três, mas recentes são de cicloturismo. Dependo da venda deles para poder realizar a minha viagem. Cada um deles tem sua particularidade e os três se completam. 1) Pedalando Solitário do Oiapoque ao Chuí; 2) Pedalando e Desvendando a Carretera Austral – 30 dias com 500 dólares; 3) Pedal nas Nuvens, uma aventura na Bolívia, no Deserto de Siloli.Tenho também um DVD com 1520 fotos de sete países e três vídeos.Tanto os livros como o DVD podem ser adquiridos pelo site http://valdonabike.com ou em qualquer loja de bicicleta de Joinville e algumas bancas de revista e papelarias.
16. O que você almeja nesta viagem?
Conhecer novos lugares, paisagens, montanhas geladas, desertos e, sobretudo pessoas diferentes com seus usos e costumes.
17. O que não gostaria de encontrar no decorrer da viagem?
A doença tanto física como psicológica. Gostaria que a viagem fosse tranqüila, despretensiosa, sem pressa e com muita aventura.
18. Deixe uma mensagem para os jovens estudantes.
Aproveite o máximo esta etapa belíssima da juventude para estudar e viajar. Programe suas férias e faça uma viagem como mochileiro ou como cicloturista. Comece por lugares interessantes no Brasil e depois parta para conhecer os países vizinhos. Tem muita coisa bonita esperando por você. Não é preciso muito dinheiro, basta um pouco de programação e determinação.


São poucos os que realizam seus sonhos, o sonho será, tem que ser, o exercício de um trabalho, de uma arte ,de uma ciência, de um casamento, enfim , de uma missão na vida.
Assim é o Valdo um sonhador e realizador.
Creio que os sonhos só se concretizam quando temos: bons princípios, boas leituras, bons valores, uma cabeça sábia para viver a velhice sem ansiedades e saber passar o tempo em paz.
Valdo - Tenha uma ótima viagem e não esqueça: o que move o ciclista não são os músculos . É a força do pensamento. Não digo adeus, digo até breve.
Para nós que ficamos um bom início de ano tem em mente que é tão fácil te querer 2009, vamos te abraçar de verdade 2009. E você aceita acompanhar a aventura do Valdo ? Qual é o seu sonho para este ano? Deixe seu comentário . Mil beijos.