9 de ago de 2008

Depois daquela viagem... que viagem longa.

No 1ª bimestre iniciamos com a seguinte proposta - ­ ler o livro Depois daquela viagem de Valéria Piassa Polizzi . - Agora a pergunta crucial: como vamos ler? Falar em comprar em escola pública é negação na certa (já vem as benditas desculpas de sempre....)
Em eleição feita ficou decidido que iríamos ler sempre 15 ou 20 minutos de cada aula minha. ( leitura compartilhada)
Confesso que foi uma leitura longa demais para o meu gostou, porém não deixou de ser muito produtiva e proveitosa. Às vezes eu lia ou deixava um voluntário (Aproveitava para falar sobre a entonação, dicção, postura.)
Ao final do livro houve muitas comemorações -Valéria está viva, alegre e de bem com a vida.
Fizemos o resumo do livro e depois algumas atividades sugeridas por eles. ( 1ª parte do trabalho)
Vamos ver o que os 1ª anos fizeram.











Visita ao Museu de Sambaqui

Saída da escola

A 5ª série E no dia 8 de agosto de 2008 participaram do Projeto: O homem Sambaquiano e sua Tecnologia. Saímos do CAIC Mariano Costa ás 13h 30min - uma festa no ônibus, quando chegamos ao Museu de Sambaqui fomos recepcionados pelo Gerson Machado e os estudantes de Pedagogia e História. O Gerson fez as devidas explicações e dividiu em grupos – cada grupo recebeu uma caixa com determinada cor e foram descobrir através de pesquisa dentro do museu para que eles utilizavam aqueles objetos e ossos. A experiência foi interessante os grupos com sua caixa procurando dentro do museu um osso ou objeto parecido para explicar se os sambaquianos utilizavam a tecnologia ou não? Explicação pelo monitor

Fomos para hora mais esperada - o lanche foi uma festa o Eduardo guloso levou guaraná de um litro e reclamou de eu tomar um pouco do “ refri” dele( brincaderinha...)

Grupo da caixa verde - pesquisando sobre o conteúdo


Retornamos para o auditório para os grupos apresentarem as conclusões que eles chegaram .. Aprenderam de uma maneira descontraída com as explicações de seus colegas de sala de aula compartilhadas pelo monitor. Aos poucos foram formando suas conclusões- entre sambaquianos e índios que tinham sua forma de usar a tecnologia através de suas necessidades iam fabricando do artefatos para melhorar e facilitar a vida..

A recepção no auditório


Após as apresentações – Gerson passou slide para últimas explicações – Os sambaquianos viviam quase sempre muito próximos aos grandes cursos d água, eram canoeiros e pescadores. Sua vida e seus hábitos alimentares estavam voltados , principalmente, para o ambiente litorâneo do mar, praias e mangues, mas também em morros próximos. E que o sambaqui é resultado da ação das antigas populações que até de 5 mil anos atrás já ocupavam as regiões mais secas junto aos manguezais). Aqui em Joinville temos 40 sambaquis e precisam ser preservados por nós. Após terminar, expliquei para o Gerson que eles já têm uma idéia de preservação e amor aos sambaquis e mangues , pois irão dar continuidade ao trabalho sobre a preservação do mangue e sambaqui em historinhas em quadrinho com participação do Menino Caranguejo -ambientado no Caieras e no Bairro Adhemar Garcia .

Pesquisa do uso da tecnologia pelos sambaquianos


O nossa tarde foi muito proveitosa e alegre, enfim a escola cumpre o seu papel de ensinar para vivermos em comunidade.

Conclusão da pesquisa