12 de out de 2009

Semeando Conhecimento... Descobrindo Valores

Fechar os olhos para assuntos incômodos que afetam toda a sociedade só dificulta as relações entre professores e alunos e trazem reflexos negativos à aprendizagem. O tema drogas precisava ser trabalhado por questões óbvias. Em reunião, resolvemos trabalhar de uma maneira “diferente”. A disciplina de Ciências coube a parte de pesquisa na Internet, debates e apresentação de trabalhos . Português foi feito em partes. Valorizar a vida e pessoas que fazem diferença na sociedade.
Iniciamos com o Vídeo da entrevista de José Roberto Ramos no programa :Jô Soares Onze e meia. Lemos o artigo O contador de histórias .














Debatemos o texto em sala de aula (cada aluno com uma cópia)e estudamos passos de fazer um entrevista e como produzir uma boa entrevista. Lancei a proposta: Quem vocês querem entrevistar? Poderá ser pessoalmente ou via e-mail . No período de” gestação”: Quem vamos entrevistar? Fomos assistir o Vídeo Drogas – Conexão XXI (registraram seus comentários)e voltamos para a entrevista- feitas as apresentações -, fomos para o seguinte passo: Transformar a entrevista em um texto narrativo. Pesquisaram em jornais como se faz um texto narrativo e produziram . Selecionei alguns. Veja:


A Criatividade é tudo!



Jorge Stark, desde criança gostava de fazer pequenos jornais de noticias e humor numa máquina de escrever Remington que veio com seu avô da Europa, em 1931 e que guarda até hoje. Depois, adolescente, começou a escrever poemas e contos crônicas. “Achei que o jornalismo era o meu caminho aos 19 anos fui fazer faculdade”.
Morador de Bexiga viveu mais á noite do que de dia, “de dia o Bexiga parece decadente, mas renasce pelo entardecer e se transforma no bairro boêmio que tem vida própria, regras próprias, pessoa características, quase personagem. Mas isto lá pelos 80 anos. Depois foi mesmo caindo e hoje sobrevive por alguns cantinhos, pelos teatros ainda aberto e pela escola de samba Vai-Vai a saracura em preto-e-branco que sacode o bairro todo o carnaval.” Conta ele. Também conta que ao sair da faculdade encontrou falta de incentivo; dificuldade em estagiar (Jornalismos não tinha estágio) pouco valor que o mercado dava aos novos profissionais. Trabalhou muito de graça, fazendo divulgação para amigos ou instituições. Só muito mais tarde passou a atuar em Comunicação Empresarial realizou-se . Jorge, comenta que ao entrevistar um italiano Domenico de Masi , filósofo ficou emocionado ao escutar: “ É bobagem o Brasil concorrer em tecnologia com outros países – uma vez que temos criatividade e muita arte para oferecer ao mundo.”
Gosta de desenvolver outros talentos como escrever. De texto de humor a poemas de dor.È o meu talento, confirma ele. No meu blog coloco a minha emoção – miltextosmil. Blogspot.com. salienta que ama : teatro, música, cinema, leitura, viagens e de assistir esporte. A poesia é minha alma. Para vocês estudantes com carinho:

Papel de rascunho
Tua vida é insensata
Viras ata ou poema
Tanto Faz
Quem sabe um dia
Alguém rabisque em ti
Um traço de PAZ.”

Foi a poesia que surgiu inesperadamente: Germinou em meu ser brotando as palavras como o frescor de uma manhã de primavera.O sonho entre tantos há o de “ Viver em uma cidade que tenha o mar para ficar olhando o infinito dele até fazer parte.”
O que ele pensa é :Escrever um monólogo humorístico, um tipo de Stand Up comedy( aqueles humoristas que falam seu texto em pé, no palco sem adereços).
Sua visão jornalística e de poeta diante do Aquecimento Global e Educação é uma visão única,pois sou só eu. O aquecimento global é uma responsabilidade com o futuro. Temos que assumir,fazemos isso quando nos envolvemos com a Ciência e procuramos tornar a vida melhor no presente. Por que não fazer com os olhos no futuro? Que será o presente dos nossos netos e bisnetos... A educação é tudo. Muito mais que igualdade, justiça social...Educação é o motor que permite aos seres tornarem-se semelhantes, compartilharem chances e crescimento . Não há nada mais coletivo que a educação ou não deveria haver. Penso que livro devia dar em árvores, ser gratuito – biblioteca tinha que ser cheia igual a estádio de futebol. Monteiro Lobato sabia disso, quando escreveu- “ Um país se faz com homens e livros. Vamos fazer um Brasil novo ? Conto com vocês. Finaliza Jorge.

Alunas: Amanda Freitas, Aline, Carina, Laysla
9 ª ano D



Nilson Gonçalves : O defensor do Povo



Nilson Gonçalves nasceu em Curitiba-Paraná e mudou-se para Santa Catarina em 1979, residindo inicialmente em São Francisco do Sul, onde iniciou a carreira como radialista, na Radio Carijós. Em 1982 ele começou a apresentar o programa na BOCA DO POVO e em poucos meses assumiu a direção da Rádio.
Quatro anos depois, criou o programa TRIBUNA DO POVO, inicialmente na RADIO CULTURA AM . Desde 1993 a Tribuna do Povo tem uma versão na TV, transmitindo atualmente de segunda à sexta-feira, às 13h na RIC Rede Record de Joinville
Nilson Gonçalves é uma pessoa muito generosa , ajuda as pessoas com dificuldades financeiras. Aparenta ser uma pessoa muito humilde não tem vergonha de falar as coisas na frente das câmeras e nem fala nada por trás. Como deputados age com vigor e autoridade de alguém que quer um Brasil melhor.

Alunas Luana e e Chayane
Serie: 9º ano D




Vai que é tua , Bial



O técnico carioca Alberto Bial comemora 38 anos de carreira em grande fase como de treinador de basquete de Joinville.Uma das surpresas do 19º Campeonato Nacional Masculino de Basquete. A equipe catarinense é líder invicta do grupo B, com cinco vitórias, junto com o Minas Tênis, do grupo A. Treinar o time adulto de Joinville é apenas uma das atividades que Bial abraçou na cidade, onde coordena um amplo projeto que inclui trabalhos nas categorias de base e programas sociais como “Basquete de Rua” e “Jovem Cidadão”, que leva o basquete às escolas. Adepto da filosofia oriental, o técnico, de 56 anos, atribui o ótimo desempenho de seu time à consciência que um adquiriu sobre cooperação e espírito de equipe, que constrói um clima de harmonia e alegria em prol do sucesso do grupo.
Como treinador que se preocupa com a formação integral do atleta, motivando o grupo a dar o seu melhor, trabalhando com alegria e motivação. Venho estudando filosofia oriental, psicologia e outros saberes que me ajudam a realizar essa tarefa. Nesse aspecto, me espelho muito no grande Hélio Rubens, que desenvolve há décadas esse tipo de trabalho em suas equipes. Temos que ver a pessoa como um todo e não só o jogador e criar um clima sempre harmonioso, para que a energia de cada um se coloque a serviço do grupo
Para ele “A profissão de técnico me fascina desde a infância. Embora sempre tenha jogado basquete, meu grande ídolo era o Zezé Moreira, técnico de futebol do Fluminense e treinar um time sempre foi um objetivo para mim, mesmo quando jogava. Tanto que conciliei as duas atividades por onze anos. Fui jogador entre 66 e 82 e atuei no Fluminense, Flamengo, Municipal e Mackenzie, todos no Rio. Em 1971 comecei a treinar as equipes de minibasquete e infantil do Fluminense até que, em 82, passei a me dedicar ao ofício de treinador. Dirigi equipes cariocas como Fluminense, Botafogo, Liga Angrense e Vasco. Fora do Rio trabalhei no Universo/Ajax, em Goiânia, projeto do qual também me orgulho bastante. Ainda tive uma experiência muito legal nos Emirados Árabes.
O seu momento atual ele descreve como:” Maravilhoso. Refletindo sobre os meus 38 anos como técnico posso concluir, graças a Deus, que melhorei muito, tanto profissional como pessoalmente. Acho que o ser humano tem que se aperfeiçoar sempre e é isso que procuro fazer na minha vida”. Salienta que está conseguindo, no Joinville, aplicar uma série de conhecimentos técnicos, táticos, psicológicos e humanos que adquirir ao longo de tantos anos, estudando no Brasil e fazendo intercâmbios no exterior.

Aluno : Jean Carlos da Silveira
9 ªano D



O Encantador de Palavras




O escritor Júlio Emílio Braz famoso com diversos livros e palestras. Nasceu em Manhumirim (MG) teve uma infância pobre,mas muito feliz,pois tinha muitos amigos e brinquedos inventados por ele -na a falta de dinheiro a imaginação funcionava ressalta, Júlio.
Ao passar dos anos, Júlio descobre seu talento, escrevendo roteiros de historinhas em quadrinhos para a editora Vecchi, do Rio de Janeiro.
Como todo brasileiro - enfrentou muitas dificuldades, mas com determinação, teimosia e muita leitura conseguiu superar suas dificuldades. Escreveu 157 livros de literatura infanto-juvenil. Sempre foi solidário, pois quando estudava organizou uma campanha para arrecadar livros para sua escola e foi uma extraordinária experiência..
Aos 21 anos Júlio começou a escrever profissionalmente, mas suas habilidades apareceram quando ele se destacava em suas redações entre seus colegas de classe.Em 1997 Júlio começou a ser coroado pelos seus trabalhos com diversos prêmios.
Para Júlio,” Os dias atuais as pessoas valorizam o que veem e têm, e não aquilo que são. É necessário refletir sobre essa superficialidade , pois existem sentimentos que não nascem com a gente , mas, antes, nos são ensinados, e um deles é o preconceito. Detesto qualquer preconceito- tenha ele a forma que tiver e venha de onde vier, e por qual motivo for – pois, como outras expressões de ignorância, representa a negação do bom senso, um desserviço à inteligência. Contra o preconceito é necessário termos conhecimento e leitura.”
Dono de uma simpatia e um sorriso aberto afirma “ A palavra nos aproxima e nos leva ao entendimento ou à busca pela compreensão.


Alunos: César, Eduardo e Ricardo.

Uma lição de vida



Edson Vilmar Viertel, tem 40 anos, nasceu em Joinville e vive aqui até hoje, completou a 8ª série na escola Oswaldo Aranha.
Não teve uma infância calma, teve muitos problemas por causas de suas “amizades”, acabou se envolvendo em drogas, e começou a trabalhar muito cedo, chegou um tempo que com 13 anos de idade já conseguiu sustentar a família e seu vicio..
A sua família hoje já esta bem melhor, assim como a de seus pais, porém seu pai ainda é alcoólatra.
Desde que me conheço por gente ele bebe.
Edson fala que nunca chegou a cometer crime para sustentar as drogas, mas sim roubava seu pai. Quando os pais descobriram já estava viciado, e mesmo assim nunca foi internado, foi buscar ajuda com 35 anos, com sua própria independência. Ele conta que já teve tios que morreram por causas das drogas.
O REJAAF para Edson é tudo, foi esse retiro que mudou a sua família, ele diz lá dentro é totalmente diferente do que aqui fora, um mês antes de ir para o REJAAF, Edson chegou a escrever uma carta de suicídio!
Um de seus maiores sonhos é mudar a juventude, segundo ele, não vai conseguir 100 por cento, mas está fazendo a sua parte.


Escola:CAIC professor mariano costa
Alunos:Jenifer Caroline Furtado
Karoline Xister Machado
Rafael Soares as Silveira
Serie:9ª ano D
Professora:Mariza Schiochet
Disciplina Português

A Fazedora de Livros



Thalita busca inspiração para escrever em encontros nas escolas, eventos e na internet. Em seus livros as histórias são inventadas, ou baseadas em fatos reais. Quando escreve é uma emoção, pura diversão.
Quis ser escritora aos 10 anos quando já brincava de escrever e com 24 anos resolveu viver somente de literatura e deu certo.
Denomina a Coleção Fala Sério a sua vida e de seus amigos contados de uma maneira descontraída, humorada e bem escrita.
Apaixonada pela vida conta que ama ler (Fernando Sabino, João Ubaldo, Luis Fernando Veríssimo e outros...
O que não curte muito é acordar cedo, pois fica acordada até noite adentro.
Thalita Rebouças é carioca da gema , fanática pelo Fluminense e com 38 anos de idade é a escritora queridnha dos adolescentes .
Alunos. Alessandra, Amanda Maurílio, João Jorge, ,
9 ªano D


Após o término do texto narrativo, foram para um texto opinativo – expliquei o que é, como se faz e tópicos de um texto de opinião. Produziram individualmente , selecionamos em sala os melhores. Analise.


Drogas, liberdade ou prisão?



Drogas , metade da população pensa que , todos estão bem informados, e essa não é a realidade. Mesmo com tanta informação, campanhas de conscientização, a cada dia vem crescendo mais o consumo de drogas, não só no nosso país, mas sim no mundo. Não precisamos ser gênios para perceber . Basta ligar a TV, abrir o jornal, ou até mesmo em uma conversa entre amigos.
Infelizmente apenas informação não basta. Se a pessoa não tem consciência, ou não querer enxergar os problemas , não há informação que sirva..
Do ponto de vista de alguns as drogas deveriam ser legalizada, que isto, vai diminuir a violência e acabar com o tráfico. Em parte isto é verdade, vai até diminuir as mortes em relação ao tráfico, porém em compensação vai aumentar o número de dependentes químicos e, isso resulta mais mortes. Nenhum tipo de droga deverá ser liberada., o nosso país não precisa de mais jovens viciados que rouba para conseguir manter o seu vicio, pois querendo ou não a legalização vai incentivar as pessoas a consumo deste produto.

Aluna Alessandra Pereira
Série 9 ano D
.

Nova abordagem às drogas
Embora muito discutidas, as drogas continuam causando problemas entre os jovens da nossa sociedade. Muitos crimes são causados por adolescente viciados e traficantes de entorpecentes. No país as penas são muito brandas em comparação às nações européias.
Métodos como a internação obrigatória em Clínicas de Reabilitação são mais eficazes que a prisão, já que, segundo alguns especialistas, “presídios são faculdades do crime”. A introdução de uma religião é uma arma forte contra o vício, visto que em Igrejas há cada vez mais relatos de ex-viciados.
Na sociedade existe um número considerável de pessoas que são a favor da legalização de alguns tipos de drogas. Isso mudaria a face do problema e não acabaria com ele. Uma indústria toda seria criada, o que facilitaria o acesso à algumas substâncias químicas que causam uma dependência terrível.
Enfim, drogas é um assunto que divide opiniões. A maneira com a qual as vítimas são tratadas não funciona, exigindo uma mudança no sistema penal do país.
Drogas: um grande problema e uma grande ameaça à vida, principalmente dos adolescentes.
Normalmente, quem as busca são adolescentes em crise, ou que vão pela onda dos amigos, que dizem que é “bacana”, e os “ influenciados vão na onda.”
A droga depois da primeira vez que se experimenta se vicia, e aos poucos vai acabando com o emocional e a saúde dos usuários. É uma praga e pode acabar com a vida do jovem, fazendo-o gastar até o que não tem, causando geralmente o fim que consequentemente é devido a acerto de contas, ou por tanto utilizar as drogas como “fuga” dos problemas do mundo.
A orientação para o perigo que a droga pode causar, conversar e dar conselhos a quem não está em uma fase boa da vida, impedindo-o de buscar a vida da perdição e lhe aconselhar que busque a Deus.
Se os usuários estiverem mesmo dispostos a sair dessa vida, eles vão atrás e tentam buscar uma solução para sair desse vicio, mas muitos não conseguem, e acabam seguindo um caminho sem volta.
Aluno: João Jorge Santiago Antunes
Série 9 ano D




NADA MAIS QUE UMA DROGA!

Uma vida sem felicidade, paz e harmonia se é que podemos chamar isso de vida! As drogas só trazem desamor, tristeza e infidelidade. Quem entra nas drogas e acha que vai ter controle sobre si, está enganado.
A droga é a maior desgraça e perdição da humanidade, na maioria das vezes um fim triste.. Com o tempo a droga vicia cada vez mais, chega ao um ponto que o usuário começa a roubar, estuprar, desrespeitar e muitas vezes matar para sustentar seu vicio.
Quem entra nas drogas não quer nada mais nada menos do que trazer tristeza para os outros, matar e se matar. A droga não é nada mais e nada menos que uma droga! Foi comprovado que não traz benefícios nenhum ao consumidor, só estraga.


Aluna Laysla Fernandes de Souza
9º ano D

Um mancha social

Em pesquisa as drogas podem fazer o usuário ficar tenso e se coçar até sangrar. Um artigo lido sobre uma droga, um atleta americano ouviu que, isto deixava a pessoa indestrutível e ele usou na primeira vez e se sentiu bem, e o tempo foi passando e o organismo dele se acabando por inteiro, ele se coçava muito e seu corpo ficou horroroso cheio de cicatrizes.
È uma desgraça para a nossa vida, pois a droga pode nos matar. Então, conseqüentemente isso é um deslize que acontece na vida de algumas pessoas.
Hoje em dia, existem muitos adolescentes que utilizam drogas escondidos para não aparecer socialmente, pois tem medo que seus pais acabem dando uma surra, mas às vezes os pais sabem que o filho usa droga e na proíbe e quando tomam uma atitude já pode ser tarde demais.
Algumas pessoas são favoráveis a liberação das drogas no país, pois sabem quanta tragédia e desgraças, que esse pensamento da liberação da droga pode trazer para a vida dele e de muitas pessoas. Seria uma chaga aberta para o Brasil.

Chegamos ao final e agradeço aos entrevistados que foram sem dúvida de grande valia para esse trabalho.Vocês mostraram que assumem múltiplos papéis na sociedade : ser humano, profissional e cidadão do mundo, são altamente disciplinados , engajados e envolvidos e gostam do que fazem. Além disso , também são éticos. Foram exemplos para meus alunos. Muiiiiito Obrigada!
Para o 9ª ano D – fica o pensamento de Ralph Waldo ( filósofo americano 1803-1882)” "Não basta ao homem ser inteligente . Mais do que tudo, é preciso ter CARÁTER." E para completar: “ O planeta não vai ser salvo por quem tira notas altas nas provas, mas por aqueles que se importam com ele” Howard Gardner (autor da Teoria das inteligências Múltiplas).
Amo vocês , meus queridos alunos, confio em vocês . A ética vai valer mais que o conhecimento no século 21.

3 comentários:

Dudão disse...

Acho que esse post ajudou boa parte das pessoas a tomarem uma decisão sobre o assunto drogas. As entrevistas ficaram demais.
Beijos professora Mariza, continue fazendo esse trabalho maravilhoso, não apenas formando o intelecto de seus alunos, mas o caráter também.

Eduardo Lara Resende disse...

Ótimo trabalho. Exemplos assim podiam ser gerais, amplos e irrestritos.

Abraço.

Gládis Leal dos Santos disse...

Oi, Mariza

Os trabalhos estão ótimos! Valeu mesmo e obrigada por aceitar mais uma vez a proposta. Vou postar os textos lá no blog.

Beijos a você e aos alunos